top of page
  • Foto do escritorWesley de Brito

Conheça os 6 principais tipos de empreendedorismo e descubra qual é o melhor para o seu negócio

O Brasil está passando por um momento interessante para os empresários. Os brasileiros são encorajados a abraçar o empreendedorismo, independentemente das circunstâncias econômicas.

Empreender exige paixão, perseverança e entusiasmo. Quer você esteja abrindo seu negócio ou expandindo um já existente, entender os tipos de empreendedorismo é parte importante da jornada.


Ao focar nas diferenças específicas de cada estilo de empreendedorismo, você conseguirá enfrentar os desafios do seu negócio com uma consciência mais profunda de como lidar com eles e de quais tipos de recursos precisará para se tornar uma empreendedora ou um empreendedor de sucesso.


Em tempos de crise, o empreendedorismo surge como uma luz no fim do túnel, com a promessa de ser uma atividade capaz de gerar empregos. Empreender também se tornou uma maneira de se manter em movimento, em tempos de estagnação do mercado.


Nem todos os métodos de empreendedorismo podem ser descritos como os mesmos. O fundador de uma empresa iniciante e um proprietário do MEI são todos empreendedores. No entanto, seus caminhos empreendedores podem ser diferentes.


Com isso em mente, ainda que existam algumas semelhanças em relação aos desafios que todos os empresários enfrentam, há determinados tipos de empreendedorismo que são definidos pelas habilidades, características e traços de personalidade do empreendedor. No final das contas, é a maneira como você escolhe administrar seu negócio que o torna único.


Estes são os principais modos de empreendedorismo. Veja qual deles se encaixa melhor com você!



1. Empreendedorismo individual

A Lei que regulamentou a atividade do Microempreendedor individual (MEI), tornou o empreendedor individual conhecido. Esta possibilidade já estava disponível há algum tempo através da forma de formalização conhecida como Empresa Individual (EI). Até recentemente, a modalidade Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) também estava vigente.

Após a criação da Lei 14.195/21 que estabeleceu o fim das EIRELI, essas empresas serão transformadas automaticamente em Sociedade Limitada Unipessoal (SLU).

A SLU foi criada por meio da Medida Provisória da Liberdade Econômica (MP 881/19). Entre as características dessa nova categoria, destacamos: não é obrigatório ter um sócio na abertura; não é exigido valor mínimo de capital social; separação do patrimônio pessoal do empreendedor do patrimônio da empresa.

Dois tipos distintos podem ser extraídos deste tipo de empresário. Alguns optam pela MEI. No entanto, há também outros que estabeleceram negócios sólidos e tudo o que precisam para crescer.

Por exemplo, os membros da SLU se enquadram nesta categoria. Mas isso não significa que os Sociedade Limitada Unipessoal não possam crescer e desenvolver seus negócios a ponto de precisar mudar a forma de incorporação para algo mais robusto com menos limites.


2. Empreendedorismo informal

Um empresário informal pode ser descrito como um profissional que tem renda suficiente para manter seu sustento. Este campo está mais preocupado com a manutenção das necessidades básicas e menos com o crescimento de seus negócios.

Eles ainda podem ter sucesso neste campo e mudar da informalidade para o empreendedorismo formal.

Estes empreendedores enfrentam muitas dificuldades para manter seus negócios. Isto porque eles estão sob grande pressão das agências reguladoras para sair de sua informalidade e começar a operar legalmente.


3. Empreendedorismo de franquia

Algumas pessoas costumam dizer que os franqueados não podem ser considerados empresários. Entretanto, uma pessoa que toma a iniciativa e se arrisca em um negócio, mesmo que não seja sua própria ideia, pode e deve ser considerada empreendedora.

Essas pessoas frequentemente encontram uma necessidade e buscam negócios testados e criados.

Elas também costumam receber as estratégias organizacionais e de marketing estabelecidas pelo franqueador, mas isso não as impede de procurar inovação em suas franquias.

No entanto, o contrato de franquias podem levar os empreendedores a divulgar uma marca que não possui e ainda assim tomar decisões comerciais para o proprietário.


4. Empreendedorismo cooperativo

O empreendedorismo cooperativo, que se baseia na ideia da economia colaborativa e na qual os empresários individuais trabalham juntos, é um exemplo.

É um sistema de apoio no qual cada membro contribui com um serviço, ou material, para garantir que todos obtenham melhores resultados em seus empreendimentos.

A ideia principal é a de compartilhar informações e recursos. A administração deve ser democrática, com todos os funcionários trabalhando juntos para tomar decisões.

Enquanto todos trabalham juntos para o sucesso, cada pessoa é responsável por seus próprios objetivos.


5. Empreendedorismo social

Um empreendedor social é alguém que constrói um negócio que fornece um meio de sobrevivência e tem um viés para proporcionar benefícios para um número significativo de pessoas. Este tipo de negócio é popular entre os estudantes universitários.

Embora muitos empreendedores não ganhem muito dinheiro, pode ser uma ótima maneira de aprender como as empresas funcionam desde cedo e compreender seus maiores desafios.

Ao passo que estes empresários são normalmente ativos em uma área que o poder público não pode alcançar. Isto proporciona muitos benefícios para a população.

Esta é uma atividade incrivelmente nobre. Mesmo outras categorias de empreendedorismo utilizam partes dela para promover soluções que tornem possível mudar a realidade das pessoas ou comunidades vulneráveis.


6. Empreendedorismo digital

O Brasil está vivenciando um boom no empreendedorismo digital.

Refere-se a produtos e serviços viabilizados pelo meio digital. Isto inclui lojas online, provedores de conteúdo (bloggers e youtubers), infoprodutos e cursos e treinamentos online, bem como aplicativos como Uber, iFood e Rappi.

Este é o tipo de empreendimento que requer a menor quantidade de recursos financeiros, mas requer muito conhecimento tecnológico, assim como um bom entendimento do mercado. Se for bem feito, pode rapidamente se tornar um empreendimento muito lucrativo.


O empreendedorismo é limitado a um tipo?

Não é essencial seguir apenas um ou outro tipo de empreendedorismo. Isso não é possível.

Além disso, a maioria dos empreendimentos no Brasil mistura vários tipos.

Ao oferecer seus serviços na Internet, um freelancer está usando o empreendedorismo digital e individual.

Aliás, um projeto ambiental também pode ser empreendido por vários empresários, que trabalham juntos para combinar aspectos sociais e cooperativos.


E foi por esse motivo que a Oinos surgiu, para auxiliar empreendedores a descomplicar suas rotinas gerenciais e evitar que o empresário torne-se refém do seu próprio negócio. Fale Conosco e saiba mais!

O que você achou? Gostou do conteúdo?

Deixe um comentário aqui compartilhando suas experiências ou dúvidas, vamos amar lhe responder! 💜


Revolucione-se! #sejaoinos

22 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page